Páginas

quarta-feira, agosto 31, 2011

Bolo toalha felpuda - um clássico da minha infância!

Recordar é viver! Esta frase pode ser um lugar-comum, sim, mas, pra mim, isso não diminui a força e a beleza do sentido que ela carrega em si. Se recordar é viver, cozinhar pode também ser um ato de recordar. Logo, cozinhar é viver!... e eu vivo pra comer! hahaha

E com esse bolo, que mais parece um doce sonho (sorry pela rima fraca!), eu queria reviver a lembrança de uma pessoa muito especial para mim e para nossa família: a querida tia Iracy, que infelizmente nos deixou cedo, mas continua bem viva em nossas memórias afetivas e, claro, gustativas!! hehe Ela pertence à família Alves Ferreira Mãos de Mada, que populou este mundão de meu Deus com grandes feiticeiros dos sabores. Como diz meu marido: "obrigada, Papai-do-Céu" pela graça de ter um bocadinho desse sangue bombando aqui na veia :D

Eu não tenho a receita original da minha tia, mas esta aqui quebrou um galhão, viu! Fui buscar uma receita de pão de ló clássico no livro União 100 anos (página 12), publicado em 2010 pela Gold Editora (presente de mamãe, claro!!). Fiquei meio ressabiada no início, já que o bolo só leva 3 ingredientes: ovo, açúcar e farinha... mas não é que dá certo! Diz o livro que essa é uma receita da década de 1920. Uia!

Já a caldinha, eu puxei lá da minha memória gustativa dos tempos que eu morava em São José do Rio Preto e tinha uma vizinha fofa chamada Nara, que fazia um delicioso bolo branco molhadinho com uma calda parecida com essa que eu fiz. Eu adoraaaaava!!

Dei uma adaptada básica no modo de montagem, pois o tempo urge e não rola, caso não seja pra uma festa, cortar quadradrinho por quadradinho de bolo, embebê-lo na calda, passá-lo no coco e embrulhá-lo no papel alumínio, né? Mas, gentens, minha tia fazia isso com tooooda a paciência do mundo e conseguia fazer desse momento uma divertida brincadeira, pela qual eu me apaixonei perdidamente aos oito anos de idade, quando tive a oportunidade de fazer esse bolo junto com ela. Obrigada Papai-do-Céu!!!

Eis a receita:

Para o bolo (pão de ló): Dona União manda a gente bater 5 ovos inteiros* com 150g (ou 5 colheres de sopa bem cheias) de açúcar refinado (eu peneiro!) na batedeira, em velocidade alta, até dobrar de volume. Eu cumpri o recomendado: 8 minutos de puro barulho!  

* DICA IMPORTANTE: eu recomendo SUPER retirar a película que envolve as gemas pra não ficar aquele arominha desagradável de ovo no bolo depois de pronto. Se os ovos estiverem em temperatura ambiente, ficará bem fácil de fazê-lo, seja peneirando as gemas ou pinçando-as com os dedos mesmo, como eu faço... assim não sujo a peneira hehe.


Feito isso, desligue a batedeira e acrescente, ao poucos, 150g (idem acima) de farinha de trigo (importante peneirar antes!). Incorpore tudo delicadamente com o auxílio de uma espátula de silicone (o famoso pão-duro). 


Despejei a massa em uma assadeira de alumínio (dimensão em cm: 28x18x4) untada com manteiga e farinha de trigo e levei ao forno pré-aquecido em temperatura baixa (entre 180 e 230 graus).

** Para assistir ao vídeo do preparo do pão de ló diretamente no site da União, clique aqui (escolha a opção "Confeitaria Básica > Pão de Ló" no menu lateral esquerdo dessa página) **


A calda é muito muito fácil e muito muito gostosa. Você pode prepará-la enquanto o bolo assa. Misture em um fervedor: 1 vidro de leite de coco, a mesma medida de leite integral e 1 lata de leite condensado. Leve ao fogo brando, mexendo sempre, até começar a sair fumacinha (antes do ponto de fervura). Acrescente 1 lata (ou caixinha) de creme de leite (com soro e tudo) e continue mexendo até sair fumacinha novamente (é rápido). Desligue Apague o fogo e reserve.


Quando a superfície do bolo ficou douradinha (cerca de 30 minutos), retirei-o do forno, furei-o todo usando um palito de dente e despejei a calda, que estava quentinha ainda. Joguei 1/2 pacote de coco ralado em flocos (sem adição de açúcar) por cima e o restinho da calda. Comi um pedaço na mesma hora... quente mesmo! :) Ô desespero de viver! hahaha Mas é claro que esse bolo fica muito (com ênfase!) delicioso gelado!

Confesso (de novo) que eu estava com muito medo de o bolo murchar que nem suflê, sabe? Mas ficou lindão! A textura é bem interessante: ele fica bom bolinhas de ar bem pequenas, fofinho e, ao mesmo tempo, firminho. O sabor da massa me lembra bem-casado e fios de ovos! Achei perfeito para ser coberto com essa generosa calda de 3 leites, que, por sinal, fica bem cremosinha.

Quer sentir um gostinho gostoso de infância? Quer que seus filhos provem um pouco desse gostinho de infância de outrora? Então, corre lá pra fazer essa perdição em forma de bolo.

Espero que aproveitem!!

Beijos e até a nossa próxima aventura gastronômica, que hoje foi... memorável ;)

Abaixo, seguem as fotos que eu bati da receita origina! Se você clicar nas imagens, o texto ficará bem legível.

(observação importante: este post, como todos os demais, não é patrocinado, ok? Mas o que é bom merece ser compartilhado, né? )







9 comentários:

  1. Hummm, este bolinho é tudo de bom!!!
    Meu cunhado tb comprou este livro, ele falou que é muito bom!!!

    Bjs...

    ResponderExcluir
  2. Seu cunhado tem toda razão, Manu: as receitas desse livro são todas muito apetitosas!!

    Essa do pão de ló foi a primeira que coloquei em prática e achei que valeu muito a pena.

    Acabei de comer mais um pedacinho do bolo só pra me certificar hehe! Puro deleite!!

    Beijos e obrigada pela visita ;)

    ResponderExcluir
  3. Este é o meu bolo favorito!
    Tamdém tenho agradáveis lembranças ligadas à ele!
    Gostei muito da sua receita!
    Se quiser ver a minha versão,

    http://blogdano.blogs.sapo.pt/49549.html

    Boa semana,

    :o)

    ResponderExcluir
  4. Olá, Noêmia!! Essas receitas cheias de histórias e emoções são mesmo muito especiais, não é mesmo?

    Sua receita também parece ser bem gostosa, além de ter uma história igualmente deliciosa!!

    Obrigada pela visita!!

    Beijos*

    ResponderExcluir
  5. Olá Marcela, seu bolo lembra muito a minha sogra, que hj em dia já não consegue mais fazer seus quitutes, mas era uma quituteira de mão cheia, sinto o gosto do bolo dela, vou fazer sua receita hj mesmo, preciso mto relembrar os anos q se passaram, Parabéns por compartilhar a receita desta maravilha...Bjão!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Valzinha!! Que gostoso poder compartilhar contigo essas memórias tão carinhos e tão saborosas, né?

      Espero que aproveite muito esse momento! Conte-me com foi experimentar esse bolinho cheio de história, ok?

      Beijos e ótimo final de semana!

      Obrigada pela visita e pelo comentário! :)

      Excluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Muito bom! Fiz e deu super certo! Parabéns e obrigada pela receita!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal, Joyce!!! Obrigada por compartilhar com a gente! Abraços!!

      Excluir

Acrescente mais um ponto neste bordado! Vou adorar! ;)